Radares da BR-101 Começam a Multar, A partir Desta Segunda-Feira (3)

Os radares instalados pelo Dnit no trecho urbano da BR-101, entre os bairros de Potilândia (imediações da Arena das Dunas) e Neópolis (entre o pórtico dos Reis Magos e o túnel de acesso ao conjunto Jiqui) começam a registrar infrações por excesso de velocidade a partir desta segunda-feira (3). Os equipamentos foram instalados no final do mês de maio e passam a medir a velocidade até mesmo nas pistas marginais — no trecho de Potilândia. A velocidade máxima permitida é de 80km/h nas pistas principais e 60 km/h nas vias marginais. 

Fiscalização eletrônica está posicionada na BR-101 desde maio deste anoFiscalização eletrônica está posicionada na BR-101 desde maio deste ano

Os quatro equipamentos funcionavam em caráter de testes e as infrações não vinham sendo registradas para efeito de cobrança das multas, também pela necessidade de passarem por aferição do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia.

Caso os motoristas sejam flagrados em velocidade superior à máxima permitida, as multas vão variar de acordo com o percentual acima do máximo determinado. Nos casos em que a velocidade superar em até 20% o limite, a permitida a infração é média e a multa é de R$ 85,13. Já quando os motoristas passarem no trecho com velocidade entre 20% e 49% acima do limite, a infração é grave, com multa de R$ 127,69. Quando o motorista passar pelo trecho com 50% acima do limite de velocidade, a infração é gravíssima e a multa é de R$ 574,62, com apreensão da carteira de motorista.

Radares de velocidade estão posicionados na via principal e marginaisRadares de velocidade estão posicionados na via principal e marginais

Velocidade
A instalação dos equipamentos é parte do Plano Nacional de Controle de Velocidade, iniciado Dnit em todas rodovias federais no ano de 2011. O Departamento instalou 66 pardais nas rodovias federais do Rio Grande do Norte. Além dos medidores de velocidade de responsabilidade do Dnit, a fiscalização eletrônica das rodovias no Estado é feita com uso de quatro radares móveis da Polícia Rodoviária Federal.

A vantagem, nesse caso, é a mobilidade em manter fiscalização nos diferentes trechos das rodovias federais de responsabilidade da PRF.