quarta-feira, 7 de outubro de 2015

RN Espera Novos Investimentos do Petróleo

O Rio Grande do Norte poderá receber investimentos de ao menos R$ 75 milhões nos próximos cinco anos, em exploração de petróleo, caso sejam comercializados os 71 blocos da Bacia Potiguar que serão ofertados hoje, na 13ª rodada de licitações, que a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) realiza hoje, no Rio de Janeiro.

O valor representa a movimentação esperada com os custos do programa exploratório mínimo (PEM). A Agência também estima que outros R$ 15 milhões serão desembolsados nos bônus de assinatura das áreas do Estado oferecidas no certame. 

A 13ª Rodada de licitações da ANP terá 71 Blocos na Bacia Potiguar, todos em terra: Perspectiva de novos investimentos no setorA 13ª Rodada de licitações da ANP terá 71 Blocos na Bacia Potiguar, todos em terra: Perspectiva de novos investimentos no setor

De acordo com Marcelo Castilho, superintendente de Promoção de Licitações da ANP, tais valores são frutos de três fatores no processo de exploração e produção nas bacias brasileiras. “Quando a empresa elabora sua oferta, ela considera o bônus de assinatura, o programa exploratório mínimo e o conteúdo local, com estes respectivos pesos: 40%, 40% e 20%, sendo 5% para a fase de exploração e 15% para a etapa de desenvolvimento”, disse.

Ainda segundo Castilho, o bônus de assinatura é quanto a empresa está disposta em pagar pela área. “Está diretamente ligado ao potencial de óleo e gás daquela área”, explicou. Já o programa exploratório mínimo (PEM) refere-se ao total do que o operador tende a investir na fase de exploração, com atividades de sísmica, levantamentos aeromagnéticos, poços, etc. “São atividades que vão subsidiar a empresa à interpretar o subsolo”, declarou. E o conteúdo local diz respeito ao percentual de consumo de bens e serviços da indústria nacional.
Nesta 13ª Rodada de Licitações, os 71 blocos da Bacia Potiguar - todos terrestres - compreendem uma área de aproximadamente 2,1 mil km². E, o volume in situ não riscado (parte do total sem demarcação de risco) de produção gira em torno de 80 milhões de barris de petróleo. Por conta do histórico de exploração de mais de 30 anos, a Bacia Potiguar é considerada madura – densamente explorada e que já passou pelo pico de produção. Dessa forma, seus principais pretendentes são pequenos e médios operadores. Apesar disso, conforme a ANP, sua atratividade não é limitada.

0 comentários:

Postar um comentário

OS COMENTÁRIOS SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

REGRAS PARA FAZER COMENTÁRIOS:
Se registrar e ser membro do Blog; Se identificar (não ser anônimo); Respeitar o outro; Não Conter insultos, agressões, ofensas e baixarias; A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica; Buscar através do seu comentário melhorias para nossa cidade.

A BOCA FALA AQUILO QUE O CORAÇÃO ESTÁ CHEIO. E O NOSSO ESTÁ CHEIO DE AMOR! JUNTOS SOMOS MAIS.