domingo, 1 de novembro de 2015

TURISMO: Seridó, Nas Trilhas da Tradição

Chegar ao topo da Serra da Capelinha, em Parelhas, no Seridó, exige algum esforço. Mas a subida é recompensada com a vista do pôr do sol lá do alto. Um espetáculo e tanto! E quando esse cenário de cinema ganha uma trilha sonora ao vivo bem apropriada, com músicas de Luiz Gonzaga e Dominguinhos, aí não tem adjetivo que descreva a sensação. Só vivenciando pra saber.

Inaugurado em 1959, o açude Gargalheiras, em Acari, foi eleito uma das sete maravilhas do Rio Grande do Norte no ano de 2007, mas o reservatório não resistiu aos últimos quatro anos seguidos de estiagem — 2012, 2013, 2014 e 2015 — e secouInaugurado em 1959, o açude Gargalheiras, em Acari, foi eleito uma das sete maravilhas do Rio Grande do Norte no ano de 2007, mas o reservatório não resistiu aos últimos quatro anos seguidos de estiagem — 2012, 2013, 2014 e 2015 — e secou

A contemplação do crepúsculo de cima da serra e ao som da sanfona é, sem trocadilho, um dos pontos altos do roteiro Seridó Tradição, elaborado e promovido com exclusividade pela Pé na Estrada Trilhas Ecológicas, empresa que atua no segmento de esportes radicais e de aventura, trilhas ecológicas e vivências em ambientes naturais.

A preocupação em ter contato com a história dos lugares visitados e seus moradores é outro diferencial da Pé na Estrada. O roteiro Seridó Tradição começa, por exemplo, em um pequeno sítio em Currais Novos onde vive o casal de agricultores Chicão e Cida. Depois de apresentar sua propriedade e contar como conseguem conviver com a seca, eles servem aos visitantes um delicioso café da manhã regional, com pamonha, canjica, cuscuz, bolo, queijo de coalho, tapioca e outras iguarias do sertão — tudo feito lá mesmo.

A próxima parada é em Parelhas, para conhecer o Sítio Arqueológico do Mirador, onde estão preservadas pinturas rupestres de 9.000 anos. As gravuras encontram-se na serra às margens da Barragem do Boqueirão, que resiste com 10% de sua capacidade de água. Depois da visita, conduzida pelo guia Dean Carvalho, que sabe tudo do lugar, a programação continua com o almoço no restaurante Recanto Verde, um lugar simples e agradável, com convidativas redes à sombra de árvores, para o descanso após um banquete preparado com o melhor da culinária seridoense.

O roteiro é retomado com a subida da Serra da Capelinha, por volta das 16h, pra que se chegue ao topo antes de escurecer. A caminhada é bem mais longa e íngreme que a primeira, mas o esforço é válido. De um lado, dá pra ver a Barragem do Boqueirão. Do outro, uma pequena cadeia de montanhas da Serra da Borborema, onde o sol se despede.

0 comentários:

Postar um comentário

OS COMENTÁRIOS SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

REGRAS PARA FAZER COMENTÁRIOS:
Se registrar e ser membro do Blog; Se identificar (não ser anônimo); Respeitar o outro; Não Conter insultos, agressões, ofensas e baixarias; A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica; Buscar através do seu comentário melhorias para nossa cidade.

A BOCA FALA AQUILO QUE O CORAÇÃO ESTÁ CHEIO. E O NOSSO ESTÁ CHEIO DE AMOR! JUNTOS SOMOS MAIS.