Governo do RN Reforça a Lei Seca em Todo o Estado

A Operação Lei Seca  ganhou na quinta-feira passada veículos com tração nas quatro rodas para fiscalizar o trânsito na orla das praias mais movimentadas do Rio Grande do Norte. Hoje, o governo do Estado faz a entrega oficial desses quatro veículos, além de uma microvan com 16 lugares para abrigar condutores detidos durante as blitzen. Mas esses equipamentos são apenas parte dos 15 itens que o capitão Styvenson Valetim, coordenador da Operação Lei Seca, listou em maio deste ano como condição para permanecer à frente desse trabalho. 

Detran ganhou mais veículos e homens para fiscalizar o trânsito na orla das praias mais movimentadas do Rio Grande do NorteDetran ganhou mais veículos e homens para fiscalizar o trânsito na orla das praias mais movimentadas do Rio Grande do Norte

Dentre outros equipamentos, a lista de Styvenson continha um equipamento chamado de DrugsTest, capaz de identificar o uso de outros tipos de drogas em alguns segundos, câmeras portáteis, duas vans para utilizar como escritórios móveis e dois ônibus. Essa estrutura deveria servir para a operação em Natal e interior do Rio Grande do Norte. 

“No caso do detector de drogas, é preciso uma referência técnica para validar esses produtos. Ele precisa ser legalmente reconhecido pelo Conselho Nacional de Trânsito [Contran]”, disse o coordenador da Operação Lei Seca. Ele defende o uso do aparelho porque possibilita a identificação de pessoas sem condições para dirigir por conta de outras drogas que não o álcool. “Tem muitos eventos aqui em Natal que as pessoas não usam bebida alcoólica. Ele [o equipamento] é muito usado na Europa, mas o Brasil como sempre é atrasado”, completou. 



No lugar dos ônibus para os detidos, veio uma microvan. Recentemente, a Operação Lei Seca também recebeu quatro notebooks para fazer o auto de infração virtual. “As pessoas reclamavam muito que demorava.  O tempo para fazer o auto foi reduzido de 20 minutos para cinco. Agora, o condutor que estiver dirigindo sob influência de álcool também vai ter cinco minutos para apresentar um condutor habilitado para liberar o carro”, ressaltou Styvenson. As câmeras portáteis também não chegaram depois de oito meses de solicitação.

Segundo o coordenador da Operação Lei Seca no RN, desde que o veículos 4x4 chegaram já entraram em uso. Antes de quinta-feira passada, os policiais que trabalham com Styvenson precisavam solicitar um veículo com tração nas quatro rodas de outro setor do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para fiscalizar o trânsito nas praias. 

A regulação do trânsito nas praias vem de uma portaria de 2007 do Dentran/RN. O capitão acredita que a portaria deve ser atualizada e de forma atemporal. “Em 2007, São Miguel do Gostoso era só um ponto no mapa. Em cinco anos, essa praia teve um boom”, argumentou. O Detran utiliza dois critérios para restringir a circulação de veículos na orla das praias: a preservação da vida humana e do meio ambiente. Ontem à tarde, quando conversou com nosso equipe ele não apresentou um balanço das ações na areia das praias porque os policiais ainda estavam trabalhando. “A bagunça tem sido principalmente durante a semana”, acrescentou.

Mais policiais
Outros 14 policiais militares se juntarão à Operação Lei Seca. Com os sete policiais que já trabalhavam e os dois capitães coordenadores, o combate aos condutores acoolizados no RN contará com 23 pessoas. Esse número ainda não é o que Styvenson solicitava em abril deste ano, quando quase saiu do comando da Operação. O ideal seria pelo menos 45 policiais, sendo  30 para o interior do Estado e 15 para a Grande Natal. “Pelo menos veio o essencial, que são os policiais, mas em segurança pública quanto mais policiais melhor”, declarou o capitão.