Projeto “Gaiolas Literárias” Une Consciência Ambiental e Leitura

Escola localizada em Pium, comunidade pertencente ao município de Parnamirim, vem combatendo a prática predatória comum da localidade por meio dos livros: provocando a discussão contra a captura de aves, os professores e alunos da Escola Estadual Maria de Araújo estão transformando gaiolas,antes usadas para prender passarinhos, em bibliotecas ambulantes.
Educadores explicam projeto desenvolvido na Escola Estadual Maria de Araújo, no distrito de PiumEducadores explicam projeto desenvolvido na Escola Estadual Maria de Araújo, no distrito de Pium

O projeto interdisciplinar que vem movimentando a comunidade da Escola Maria de Araújo foi criado pelos professores Natanael Avelino (biologia) e Ana Leopoldina (língua portuguesa). Tudo começou quando notaram que muitos de seus alunos tinham o costume de caçar pássaros para vender ou criar em cativeiro. Natanael passou a mostrar aos estudantes os danos provocados com a captura de aves ao meio ambiente. “Tínhamos que mostrar para eles que usar gaiolas para prender os pássaros era abusivo à natureza”, explicou o professor.

Os dois professores pediram que os alunos trouxessem gaiolas, que eram utilizadas para prender as aves, para serem trabalhadas e transformadas em mini-bibliotecas. “Pegamos fitas, fizemos adaptações e arrumamos os livros: as gaiolas foram feitas para serem espalhadas pela cidade, agora não mais com passarinhos, mas com livros”, lembra a professora Ana Leopoldina.

O projeto Gaiolas Literárias teve seu alcance expandido com o envolvimento de toda a comunidade: mães de alunos passaram a participar mais das atividades da escola, artesãos locais ofereceram oficinas de montagem de brinquedos com material reciclável. Com o novo projeto, os professores também viram aumentar a produção textual de seus alunos, tendo no meio ambiente a fonte de inspiração. A Escola Estadual Maria de Araújo conta com sete salas de aula do ensino fundamental, 520 alunos. O projeto é desenvolvido com alunos do 5º e 6º anos. “Os alunos dessas turmas têm maior facilidade em desenvolver o gosto pela leitura”, explicou Leopoldina.

As gaiolas serão espalhadas em toda a comunidade de Pium para sensibilizar os moradores. “Queremos que cada pessoa que conheça o projeto se sensibilize e perceba que a verdadeira liberdade está nos livros. Querendo soltar cada pássaro e libertar os leitores que está dentro de cada um de nós”, conta Edilson Paula de Souza, coordenador pedagógico da escola.