SAÚDE: RN Lidera Número de Mortes de Bebês por Microcefalia no País

Já são 106 o número de casos suspeitos de microcefalia registrados no Rio Grande do Norte. O Estado é o quarto em número de casos e está em primeiro em mortes de bebês pela má formação e suspeita de infecção pelo vírus Zika, com sete óbitos, segundo o Informe Epidemiológico sobre Microcefalia, divulgado ontem, dia 8, pelo Ministério da Saúde. Os casos ainda estão em investigação para confirmar a causa dos óbitos.  

Em encontro na UFRN, na tarde de ontem, professores, alunos e profissionais da área de saúde discutiram atuação do grupo de trabalho e formas de prevençãoEm encontro na UFRN, na tarde de ontem, professores, alunos e profissionais da área de saúde discutiram atuação do grupo de trabalho e formas de prevenção

Em todo o Brasil, até o dia 5 de dezembro, foram registrados 1.761 casos suspeitos de microcefalia e 19 óbitos, em 422 municípios de 14 estados. Pernambuco apresenta o maior número de casos, com  804 registros, seguido  pela Paraíba  com 316, Bahia (180) e o Rio Grande do Norte. As mortes foram registradas no Rio Grande do Norte (7) e nos estados de Sergipe (4), Rio de Janeiro (2),  Bahia (2), Maranhão (1), Ceará (1), Paraíba (1) e Piauí (1).

Em meio ao surto de casos, a  Secretaria Estadual de Saúde Pública divulgou ontem (8), nota técnica orientando os profissionais que atuam na rede de atenção básica sobre o reforço nos cuidados com gestantes e o recém-nascido e chamando a atenção para a vigilância dos fatores de risco sanitários e associados à gravidez (veja ao lado).
A rede, observa o infectologista Kleber Luz, deve dispor de sistema de referência para as crianças que apresentam a doença com ultrassonografia e tomografia, além de exames complementares, genéticos para afastar outras causas de microcefalia. Para o tratamento em reabilitação, não há definição. O tratamento depende do grau de comprometimento das funções cerebrais.