Donos de Pequenas Empresas do RN não Planejam Demissões


O Índice de Confiança dos Pequenos Negócios (ICPN) divulgado pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Rio Grande do Norte (Sebrae/RN) na última sexta-feira, 20, aponta que 89% dos proprietários de micro e pequenas empresas do estado devem manter o quadro de funcionários até o fim do segundo trimestre. Outros 6% pensam em demissões e 5% em novas contratações.

O RN registrou uma perda recorde no número de postos de trabalho formais no primeiro trimestre do ano – cerca de 10 mil vagas.

O estudo mostra que a maior parte está otimista no que se refere às receitas até junho. 44% dos potiguares preveem aumento do faturamento até o fim do segundo trimestre.

Em relação a perspectivas de faturamento, o levantamento mostra que a maior parte está otimista no que se refere às receitas até junho. 44% dos potiguares preveem aumento do faturamento até o fim do segundo trimestre e outros 43% devem manter o fluxo de caixa. Apenas 13% acreditam que terão perdas de receitas nesse período.

Em termos de otimismo, os empresários potiguares estão com a confiança em alta, pelo menos nesse segmento das micro e pequenas empresas, que representa 99% dos empreendimentos do Rio Grande do Norte. O ICPN do estado em maio ficou em 96 pontos, dois a mais que o mês anterior e um ponto acima da média da região Nordeste e a nacional, ambas fixadas em 95 pontos. O ICPN varia em uma escala que vai de 0 a 200. Acima de 100, o indicador revela tendência de expansão das atividades, enquanto abaixo desse valor direciona para possível retração.

Apesar de um avanço, um ICPN abaixo de 100 indica tendência à contração da atividade nos próximos meses, embora caminhe novamente caminhando na direção da estabilidade.