domingo, 4 de setembro de 2016

Fogo da Inclusão: Tocha Paralímpica Acende a Chama do Esporte em Natal/RN

Debaixo de um forte sol, a chama da Paralímpiada 2016 chegou a Natal na manhã deste sábado e recebeu uma grande festa no ginásio Palácio dos Esportes, na bairro de Petrópolis. Com muita música e emoção, os natalenses e o mundo inteiro foram os responsáveis pelo acendimento da chama, por meio da postagem #Inspiração nas redes sociais. Em seguida, a tocha foi acesa por Débora Seabra, portadora de síndrome de Down e que é professora de uma turma de alfabetização em uma escola particular na capital potiguar.

- Eu fiquei feliz demais e super emocionada. Eu já havia participado do revezamento da Tocha Olímpica e, agora, fui convidada para esse momento da Paralímpiada. Como sou professora, sinto muitas emoções todos os dias e hoje eu vivi uma bem especial. Temos muitos atletas potiguares na competição e espero que eles façam bonito. Nós precisamos de mais inclusão e o esporte serve para isso - contou Débora.

RN - Débora Seabra - Revezamento Tocha Paralímpica Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)Débora Seabra é a primeira professora com Síndrome de Down no país (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)
Inclusão esportiva
A Chama Paralímpica percorreu seis instituições que desenvolvem ações sociais e esportivas para a inclusão de portadores de necessidades especiais em Natal: Ierc (Instituto de Educação e Reabilitação dos Cegos do RN), Sadef (Sociedade dos Amigos do Deficiente Físico), Apae (Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais), Suvag (para portadores de deficiências auditivas), Adote (Associação de Orientação aos Deficientes), e Sociedade Professor Heitor Carrilho (que desenvolve atividades educacionais e de inclusão social aos portadores de necessidades especiais).

Clebson Dantas, que possui deficiência auditiva, também foi condutor no revezamento da Tocha Olímpica em Natal, no mês de junho. Corredor de rua, reforça que o esporte o fez ganhar um novo estímulo para seguir na vida.

- É incrível sentir essa emoção, ainda mais em representar uma instituição da qual eu faço parte como deficiente auditivo. É muito gratificante e espero passar a mensagem de amor, e principalmente, de igualdade. Passa uma história de vida da gente, da nossa família, dos amigos. De uma certa forma, a gente está representando a família, os colegas de trabalho e a população da nossa cidade - festejou Clebson.

RN - Clebson Dantas imita Usain Bolt - Revezamento Tocha Paralímpica Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)Corredor de rua, Clebson Dantas imitou Usain Bolt ao acender a tocha em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

A professora aposentada Fátima Badarô também conduziu o fogo paralímpico e não escondeu a emoção por ter sido escolhida para representar a instituição Adote, que auxilia os portadores de necessidades especiais com atividades educacionais.
- É um sentimento muito bom. Essa tocha significa tudo, alegria, emoção, êxtase. É momento único na vida da gente em ser escolhida entre tantas pessoas... É muita emoção, estou arrepiada - contou emocionada.

Pelas ruas da Cidade do Sol
A segunda parte do revezamento da Tocha Paralímpica em Natal começou por volta das 16h30, em frente ao Pontal do Sol, que fica na praia dos Artistas. O trajeto contou com 47 condutores, que se revezaram ao longo dos 8 Km de trajeto. A psicóloga e escritora Cícera Bruna, que tem paralisia cerebral, foi a responsável por iniciar o trajeto. Com a ajuda do pai e incentivada por familiares, se emocionou bastante e levou consigo o espírito olímpico. Aplaudida por alguns populares, disse ter realizado um sonho.
- Foi a realização de um sonho essa tocha. Não tenho palavras para descrever o que estou sentindo. Agradeço aos que me incentivaram nesse momento tão especial - comemorou a potiguar.

RN - Cícera Bruna - revezamento Tocha Paralímpica Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)Psicóloga e escritora Cícera Bruna conduziu a Tocha Paralímpica com o pai (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

O percurso ainda passou pela praia do Forte e entrou no Canto do Mangue, região pesqueira no bairro das Rocas. No bairro da Ribeira, o fogo chamou a atenção dos moradores e comerciantes da região. A halterofilista potiguar Maria Rizonaide Silva também conduziu a tocha. Campeã dos Jogos Parapan-Americanos em Toronto, em 2015, "Tainá", como é chamada pelos amigos, disse ter carregado a tocha como se fosse uma medalha de ouro na Paralimpíada.
- Foi uma experiência sensacional. Eu senti uma emoção muito grande em participar dessa Paralímpiada, foi como se eu tivesse conquistado uma medalha de ouro. Já vivi emoções fortes, como essa foi muito impressionante - celebrou a atleta.
RN - Maria Rizonaide Silva - Roberto Vital - Tocha Paralímpica Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)Rizonaide esteve ao lado do médico do CPB, Roberto Vital, e de outros condutores (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Emoção e despedida

Após percorrer algumas ruas do bairro da Cidade Alta, a Tocha foi levada, novamente, para o ginásio Palácio dos Esportes. O ex-nadador e primeiro medalhista potiguar em Paralimpíada, Gledson Soares, teve a responsabilidade de conduzir a chama nos últimos metros e acender a Pira com o fogo do calor dos potiguares. Aposentado, Gledson disse ter fechado com "chave de ouro" a carreira na natação brasileira (veja o vídeo acima).
- Eu já chorei muito, desde o momento em que desci do ônibus do comboio do revezamento. Eu comecei no esporte há 20 anos, me tornei o primeiro atleta paralímpico de natação do Rio Grande do Norte a ganhar uma medalha, e hoje, vejo todo esse evento e fico feliz em fazer parte da história dos Jogos. Já estou aposentado, mas sinto que hoje, com o acendimento dessa Pira, foi o encerramento da minha carreira como atleta e eu agradeço a todos vocês que um dia torceram por mim - comemorou.
RN - Gledson Soares acendimento Tocha Paralímpica Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)Ex-nadador Gledson Soares encerrou o percurso da Tocha Paralímpica em Natal (Foto: Jocaff Souza/GloboEsporte.com)

Outro atleta da natação potiguar esteve na cerimônia e celebrou em dobro a presença da Tocha. Adriano Gomes de Lima embarca neste domingo para o Rio de Janeiro e vai participar da sexta Paralimpíada da carreira. Emocionado, agradeceu aos familiares e pediu a torcida para buscar uma medalha paralímpica.

- Estou embarcando amanhã para o Rio de Janeiro para participar da minha sexta Paralimpíada. Eu sofri um acidente na minha adolescência e, desde então, venho lutando para me incluir na sociedade. Eu ganhei uma nova vida no momento em que descobri o esporte e agradeço aos meus familiares por me apoiarem em minha carreira - disse Adriano.

A Tocha Paralímpica chega neste domingo a São Paulo. Na segunda-feira, é a vez da cidade de Joinville, em Santa Catarina, receber o fogo dos Jogos. Na terça-feira, a chama chega ao Rio de Janeiro e percorre vários espaços da cidade até a quarta-feira, quando será acesa a chama que vai iluminar o Estádio do Maracanã, na cerimônia de abertura.

0 comentários:

Postar um comentário

OS COMENTÁRIOS SÃO DE EXCLUSIVA RESPONSABILIDADE DO AUTOR.

REGRAS PARA FAZER COMENTÁRIOS:
Se registrar e ser membro do Blog; Se identificar (não ser anônimo); Respeitar o outro; Não Conter insultos, agressões, ofensas e baixarias; A tentativa de clonar nomes e apelidos de outros usuários para emitir opiniões em nome de terceiros configura crime de falsidade ideológica; Buscar através do seu comentário melhorias para nossa cidade.

A BOCA FALA AQUILO QUE O CORAÇÃO ESTÁ CHEIO. E O NOSSO ESTÁ CHEIO DE AMOR! JUNTOS SOMOS MAIS.