No Dia Mundial do Câncer, OMS Ressalta Atitudes que Facilitam Diagnóstico

cancer_pele

Hoje é o Dia Mundial do Câncer. E, para reforçar a luta contra a doença que, só no Brasil, matou 223.400 pessoas em 2015, a Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou um guia de medidas. No documento, especialistas ressaltam a necessidade do diagnóstico precoce e a economia que ele pode gerar aos países. Entre as ações, sugerem investimentos para aumentar a sensibilização do cidadão comum e melhorar o aparato dos profissionais da área. Oncologistas ouvidos pelo Correio concordam com as propostas e reforçam que campanhas informativas são essenciais no combate aos tumores.

De acordo com a OMS, mais de 14 milhões de pessoas desenvolvem câncer a cada ano, um número que pode aumentar para mais de 21 milhões em 2030. A enfermidade é responsável por aproximadamente uma em cada seis mortes mundialmente, com óbitos mais frequentes em países de baixa e média rendas. A doença torna-se mortal principalmente pelo diagnóstico demorado, dificuldade enfrentada também por nações com sistemas de saúde mais avançados. 

“Diagnosticar o câncer em estágios tardios e a incapacidade de prover tratamento condenam as pessoas ao sofrimento desnecessário e à morte precoce”, afirma, em comunicado, Etienne Krug, diretor do Departamento de Gestão de Doenças Não Transmissíveis, Deficiência, Violência e Prevenção de Lesões do órgão das Nações Unidas.