INSEGURANÇA!! Sem PMs nas Ruas Há Cinco dias, Grande Natal/RN Soma mais de 250 furtos, Roubos e Arrombamentos

  Unidades bancárias também foram alvo de criminosos neste últimos dias (Foto: Italo Di Lucena/Inter TV Cabugi) Mais de 250 furtos, roubos e arrombamentos já foram registrados nestes últimos dias na Grande Natal. Desde a terça (19), praças e oficiais da Polícia Militar estão fora das ruas, aquartelados em protesto contra os salários atrasados. 

Os dados, enviados ao G1 pela Secretaria de Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed), também revelam que, apesar de a capital ter recebido um reforço de 70 agentes da Força Nacional na manhã da sexta (22), o registro de crimes contra pessoas e o patrimônio não vêm diminuindo. Os números foram consolidados pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais da Sesed. 

Confira:




Crimes registrados na Grande Natal
Tipo de crime Terça, 19 Quarta, 20 Quinta, 21 Sexta, 22 Sábado, 23 (até às 7h) Total
Arrombamentos 3 5 3 2 2 15
Furtos 2 0 5 1 0 8
Roubos 64 60 39 51 15 229
Por subtipo de roubo

Terça, 19 Quarta, 20 Quinta, 21 Sexta, 22 Sábado, 23 (até às 7h) Total
A estabelecimento comercial 9 7 3 5 1 25
A estabelecimento bancário 0 2 0 3 0 5
A pessoa 15 15 10 18 4 62
A residência 3 3 3 4 0 13
De veículo 36 33 22 20 10 121
A posto de combustível 1 0 1 0 0 2
O G1 também solicitou os dados da semana passada, para que fosse possível fazer uma comparação, mas a Sesed ainda não dispõe destes números.
 Em Natal, PMs estão aquartelados desde a terça (19)   (Foto: Polícia Militar/Divulgação) 
RN sem PM 

O RN vem sofrendo com a falta de policiamento militar nas ruas desde a terça (19). Além de exigir o pagamento em dia dos salários, os PMs também dizem que só deixam os batalhões com viaturas, materiais de proteção e armas em condições adequadas de uso. Por isso, alegam que não estão em greve, mas realizando uma operação chamada 'Segurança com Segurança'. 


Agentes, escrivães e delegados da Polícia Civil se uniram ao protesto e estão trabalhando em escala de plantão. Isso significa que desde o início do movimento apenas as delegacias de plantão e as regionais estão funcionando. Agentes penitenciários estão em greve, o que impede a realização de visitas e banhos de sol nos presídios do estado. 




#Fonte: G1