RN tem 403 mil Pessoas que Não sabem Ler Nem Escrever, diz IBGE

   

14,7% dos potiguares não sabem ler e nem escrever, aponta o IBGE
 
De acordo com dados divulgados na última quinta-feira, 21, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 14,7% dos potiguares de 15 anos ou mais de idade não sabem ler ou escrever. O número de analfabetos no RN é de 403 mil.
A taxa verificada no estado fica atrás apenas de Pernambuco e Bahia. O primeiro apresenta taxa de 12,8%. Já o índice baiano é de 13% (são 1,5 milhão de analfabetos). O maior índice registrado no Nordeste é de Alagoas. O estado tem 19,4% de pessoas acima dos 15 anos que não sabem ler ou escrever.

O nível de instrução foi estimado para as pessoas de 25 anos ou mais de idade, pois pertencem a um grupo etário que já poderia ter concluído o seu processo regular de escolarização. No Rio Grande do Norte, 55,3% da população de 25 anos ou mais de idade estava concentrada nos níveis de instrução até o ensino fundamental completo ou equivalente; 24% tinham o ensino médio completo ou equivalente; e 12%, o superior completo.

Dentre os homens, 59,3% possuíam nível de instrução até o ensino fundamental completo, enquanto entre as mulheres essa proporção foi 51,8%. As mulheres apresentaram proporções maiores que as dos homens para os níveis de instrução mais elevados: 14,4% delas possuíam nível superior completo, enquanto 9,3% deles haviam alcançado esse nível.

Considerando a cor ou raça: enquanto 13,3% das pessoas brancas não tinham instrução, 17% das pessoas pretas ou pardas estavam nesse grupo. Situação inversa ocorreu no nível superior completo: 17% das pessoas brancas o possuíam, ao passo que entre as pretas ou pardas a proporção era de 9%.

No Rio Grande do Norte, 972 mil pessoas frequentavam escola ou creche. Entre as crianças de 0 a 3 anos a taxa de escolarização foi 54,9%, o equivalente a 148 mil estudantes, e entre as crianças de 4 e 5 anos, faixa correspondente à pré-escola, a taxa foi 96,1% de escolarização. Por fim, 32,2% dos jovens de 18 a 24 anos estavam frequentando escola, o equivalente a 126 mil estudantes, e, entre as pessoas de 25 anos ou mais de idade, a taxa de escolarização foi 4,3%, totalizando 94 mil estudantes.