RN é o Estado com a Maior Taxa de Crimes Violentos de 2017, Aponta Levantamento


Levantamento do G1 publicado nesta quinta-feira, 22, aponta o Rio Grande do Norte é o estado com o maior índice de mortes violentas a cada 100 mil habitantes em 2017. São 64 para cada 100 mil.
O portal ligado ao Grupo Globo diz que o estado começou o ano com o massacre de Alcaçuz, que deixou ao menos 26 detentos mortos em janeiro, e terminou com um recorde histórico de mortes violentas.

Ao site, o Governo do RN destacou que 2017 foi um “ano atípico”. “Iniciamos, no mês de janeiro, com a crise no presídio de Alcaçuz, resultando em um número de mortes elevado. A situação do sistema prisional, que reflete diretamente na segurança pública, está sendo tratada pelo governo do estado como prioridade, o qual já realizou concurso, construiu presídios e elaborou um plano para ser estabelecido a longo prazo”. 

“Estamos trabalhando, por meio das polícias Militar e Civil, para reduzir, não só as mortes violentas, como os demais números relacionados à segurança.”

Segundo o Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO), foram 2.405 mortes violentas no ano passado. O estado teve média de quase sete (6,61) homicídios por dia no ano passado. O total de assassinatos em relação a 2016 foi 20,5% maior, quando foram registrados 1.995 homicídios.

Ainda de acordo com o instituto que contabiliza os crimes contra a vida no estado, a marca histórica de 2 mil mortos em menos de um ano foi atingida em outubro de 2017.

Questionada ainda pelo G1 sobre a liderança no ranking a Sesed diz que “não há atualmente no Brasil uma padronização na coleta e publicação dos dados das secretarias de Segurança Pública, implicando que em alguns estados os números de mortes violentas sejam maiores que em outros, ainda que não represente a realidade”.

“Segundo a 11ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, o RN se encontra no mais alto grau de transparência e qualidade dos seus dados. O estado pertence ao Grupo 1, no que se refere à qualidade dos dados de homicídios. Neste grupo, estão as unidades da federação com dados de homicídios de boa qualidade e aderência à proposta do Protocolo de Bogotá”, afirma a pasta.

O levantamento do G1 ainda revela que o Brasil teve 59.103 pessoas assassinadas no ano passado (um aumento de 2,7% em relação ao ano anterior). A taxa de mortes a cada 100 mil habitantes subiu e está em 28,5.

O número de homicídios e de lesões corporais seguidas de morte cresceu, mas o de latrocínio (o roubo seguido de morte) caiu.
O Ceará é o estado que teve o maior crescimento de mortes tanto em número absoluto (1.677 mortes a mais em um ano) como percentualmente (48,5%).