Partidões ‘esquecem’ Diferenças em Busca de Consenso Para as Eleições


O petista Fernando Haddad se encontrou com Ciro Gomes, pré-candidato à Presidência pelo PDT, no último fim de semana, para debater o cenário eleitoral. Já o tucano Geraldo Alckmin tenta se reaproximar do MDB, de olho no ex-ministro Henrique Meirelles como vice-presidente na chapa do PSDB. Faltando menos de quatro meses para o fim do prazo para registro de candidaturas, as conversas de bastidores para formação de alianças para as eleições deste ano correm a todo vapor.

É a partir dessas negociações que um cenário mais realista da disputa começará a ser delineado. Hoje existem pelo menos 22 pré-candidaturas ao Palácio do Planalto – um exagero. É difícil acreditar que todas se manterão até 15 de agosto, o prazo derradeiro para registro das chapas na Justiça Eleitoral.

Para o consultor político Creomar de Souza, professor da Universidade Católica de Brasília, a tendência daqui para frente é que a quantidade de postulantes ao cargo de Michel Temer se reduza, privilegiando a formação de coligações para dar mais musculatura a pré-candidatos que estão melhor posicionados nas pesquisas de intenção de voto.