Crianças infectadas por zika podem sofrer problemas cognitivos e motores quando adultas




A exposição ao vírus da zika no útero materno ou logo após o nascimento pode trazer sequelas que só serão observadas muito mais tarde na vida da criança. O alerta é de um grupo de cientistas brasileiras que liderou um experimento inédito para tentar identificar possíveis consequências de longo prazo da infecção — chamada de “síndrome congênita do vírus da zika” —, em especial em crianças que não apresentam suas sequelas mais visíveis, como a microcefalia, observada apenas em cerca de 10% delas.


A principal conclusão do trabalho é que pais e profissionais de saúde devem ficar atentos ao eventual aparecimento de problemas motores, cognitivos ou comportamentais nessas crianças à medida que cresce a geração atingida pela epidemia da doença no país entre 2015 e 2016.